NOVA MONTAGEM DE 5 X COMÉDIA, COM BRUNO MAZZEO, DEBORA LAMM, HELOISA PÉRISSÉ, LUIS MIRANDA E THALITA CARAUTA,
CHEGA A PORTO ALEGRE

Espetáculo dirigido por Monique Gardenberg e Hamilton Vaz Pereira, com textos de Antonio Prata, Julia Spadaccini, Pedro Kosovski, Heloisa Périssé e Luis Miranda, será apresentado nos dias 21 e 22 de abril, no Theatro São Pedro 

Após um hiato de quase 20 anos, o 5 X Comédia, uma das grandes sensações do teatro brasileiro da década de 90 – concebido por Sylvia Gardenberg, produzido pela Dueto e visto por mais de 450 mil espectadores –, voltou repaginado a partir de 2016 com temporadas de sucesso no Rio de Janeiro, Brasília, Belém, Curitiba, São Paulo, Recife, Belo Horizonte, Salvador, Ribeirão Preto, Fortaleza e Campinas. A nova montagem, dirigida por Monique Gardenberg e Hamilton Vaz Pereira, agora chega a Porto Alegre, onde fica em cartaz no Theatro São Pedro, nos dias 21 e 22 de abril, com cinco esquetes escritos e interpretados por alguns dos mais incensados nomes do humor e da nova dramaturgia do país. Os ingressos já estão à venda no site (vendas.teatrosaopedro.com.br) e na bilheteria do teatro.

Nesta versão do século XXI, Bruno Mazzeo, Debora Lamm e Thalita Carauta têm a incumbência de dar vida aos personagens criados, respectivamente, por Antonio Prata, Julia Spadaccini e Pedro Kosovski, enquanto Heloisa Périssé e Luis Miranda encenam textos de autoria própria. O espetáculo tem cenário de Daniela Thomas e Camila Schmidt, iluminação de Maneco Quinderé e figurino de Cassio Brasil. A BB Seguridade, empresa que concentra as operações de seguros, previdência, capitalização e planos odontológicos do Banco do Brasil, apresenta e patrocina o projeto. Depois da capital gaúcha, a peça ainda passa por Natal, Goiânia e Palmas.

 

MAIS UMA VEZ CINCO

Percebendo-se ultrapassada pelas princesas contemporâneas, uma Branca de Neve à base de rivotril lê Simone de Beauvoir na tentativa de construir uma nova mulher. Vinda da França para uma palestra sobre sofisticação e elegância, uma impagável e afetada socialite dá dicas de lugares, moda, comidas e drinks para um grupo seleto de convidados.  Um pai de primeira viagem recorre a medidas extremas após meses de privação de sono e precisa se explicar na delegacia. Enquanto aproveita mais um teste de elenco para filar um lanche, uma figurante sem noção tira o diretor do sério. Uma mulher que tinha tudo para dar errado na vida, cria uma técnica especial para driblar a pressão do dia a dia e o baixo astral, passando a acreditar que é uma versão brasileira da Oprah Winfrey.

Marco do teatro carioca dos anos 1990, o espetáculo 5 X Comédia está de volta pelas mãos de Hamilton Vaz Pereira, diretor-geral das três versões anteriores, e Monique Gardenberg, produtora da montagem original. Dezoito anos depois da última encenação, uma nova geração entra em cena: Antonio Prata, Julia Spadaccini e Pedro Kosovski são os autores dos textos interpretados, respectivamente, por Bruno Mazzeo, Debora Lamm e Thalita Carauta, enquanto Heloisa Périssé e Luis Miranda apresentam monólogos escritos por eles mesmos. Desta vez, Hamilton e Monique dirigem juntos as cinco cenas.

Assistidas por mais de 450 mil pessoas em dezenas de cidades brasileiras, as versões de 1993, 1995 e 1999 celebrizaram-se por fichas técnicas cujas vidas se entrelaçavam desde a década de 1970, ora no grupo de teatro Asdrúbal Trouxe o Trombone – capitaneado, não por acaso, por Hamilton –, ora no programa “TV Pirata”, que foi ao ar na Rede Globo de 1988 a 1990 e voltou à grade em 1992. Os quadros e os atores foram se revezando nos palcos. Quinze quadros. Doze atores: Andréa Beltrão, Denise Fraga, Diogo Vilela, Pedro Cardoso, Luiz Fernando Guimarães, Débora Bloch, Fernanda Torres, Miguel Magno, Cláudia Raia, Patrycia Travassos, Evandro Mesquita, Totia Meireles.

Agora, sublinha Monique, não é muito diferente. “São atores-criadores que se uniram para a produção de um novo humor, como foi o caso da série ‘Cilada’, que ficou no ar durante seis temporadas, do filme ‘Muita calma nessa hora’, ou do programa ‘Junto e Misturado'”, ela situa. Hamilton classifica a nova montagem de “corajosa”: “Quem viu lá atrás pode querer comparar, e isso é um perigo. Mas a nova versão não se amedronta, é o que se percebe nos textos que recebemos e na vitalidade que está sendo mostrada por cada intérprete”.

Retornar ao 5 X Comédia era um desejo antigo que só ganhou corpo quando Monique se aproximou de Bruno Mazzeo por intermédio de Augusto Casé, que produz os filmes de ambos. Se em 1993 a peça foi concebida por Sylvia Gardenberg, irmã de Monique, a partir de um encontro com Pedro Cardoso, Bruno foi o catalisador da nova montagem. “Vi nele, esse cara multitalentoso que eu admirava de longe, o parceiro que precisava para me ajudar a trazer a peça de volta, assim como o Pedro ajudou a Sylvinha a escalar autores, atores, diretores”, diz a diretora. “Isso aqui é, também, uma homenagem a ela”.

Bruno fala da alegria que é participar de um projeto que sempre teve como referência: “O 5 X Comédia foi montado por pessoas que fizeram a minha cabeça desde sempre. Quando Monique ligou eu topei mesmo sem saber o que era, porque trabalhar com ela já era desejo antigo.

Quando soube o que era, meus olhos brilharam. Dividir o palco com amigos queridos e parceiros de outros carnavais, trazendo de volta um espetáculo que marcou uma geração, e poder mostrá-lo para as novas gerações é um dos pontos mais charmosos da minha carreira até agora.”

Debora Lamm, que se lembra de sair de uma sessão de 5 X Comédia no Canecão com as bochechas doendo de tanto rir, ressalta que a união entre os atores faz a força nesta nova versão, assim como no passado. “Nós também somos uma turma, já trabalhamos juntos diversas vezes e temos uma afinidade, que é justamente o que faz com que continuemos trabalhando juntos”, avalia.

Unidos esteticamente pelo cenário de Daniela Thomas e Camila Schmidt, pela luz de Maneco Quinderé e pelo figurino de Cassio Brasil, os cinco quadros também dialogam no que trazem de mais atual. Temas e citações se repetem aqui e ali: o novo feminismo, a intolerância que borra os limites entre civilidade e barbárie, o desenho animado “Peppa Pig”, as corruptelas da vez – caso do ubíquo “miga”: “Miga, cê tá bem?”, pergunta a Branca e Neve do esquete de Julia Spadaccini ao encontrar Alice deprimida na cama.

Hamilton louva o fato de o espetáculo captar, ao mesmo tempo, um novo momento e uma nova maneira de produzir o riso – “Um riso com conteúdo, graça, que tenha o espírito de um povo, de uma idade” –, embora confesse que às vezes se perde entre uma ou outra referência mais recente. Para Monique, “é uma turma que busca alternativas, novos canais para existir, e é nesse encontro mais livre que surgem ideias surpreendentes, que apontam para um humor irreverente, antenado”.

Em “BRANCA DE NEVE”, de Julia Spadaccini, a personagem vivida por Debora Lamm luta para se desapegar da vida de princesa: “Dizem que o mundo mudou, que eu não me adequo mais, que sou antiquada, careta, casada. Mas gente, ser casada agora é um problema? Queriam o quê? Uma princesa divorciada? Vivendo pela Lei do Concubinato? Solteira aos 40 fazendo fertilização in vitro, barriga de aluguel, colhendo sêmen em banco de esperma alemão?”

Em “MADAME SHEILA”, esquete escrito e encenado por Luis Miranda, uma socialite vinda da França faz uma palestra sobre sofisticação e elegância, com dicas de lugares, moda, comidas e drinks para um grupo seleto de convidados. Avessa ao calor do Brasil, ela enaltece os prazeres de uma vida na Europa.

Primeiro texto do escritor e roteirista Antonio Prata para o teatro, “NANA, NENÊ” retrata o desespero do clarinetista Rodrigo (Bruno Mazzeo), um pai enlouquecido entre escolas de mamada e de métodos para fazer o bebê dormir: “Vocês acreditam nisso? Acreditam que não tem Alô Bebê 24 horas?! Se existe alguma coisa que funciona 24 horas neste mundo é um bebê! Nada é mais 24 horas que um bebê! E não tem nenhuma Alô, Bebê 24 horas! Se eu quiser comprar uma máquina de lavar louça agora, eu compro! Se eu quiser comprar falafel agora, eu compro! Se eu quiser sexo ou drogas ou rock ‘n’ roll, eu compro! Não que eu vá comprar, mas tem!”

Em “TIADORO SHOW”, Heloisa Périssé dá vida a Dorotéia, uma mulher que tinha tudo para dar errado na vida, mas a partir de estudos e crenças que desenvolveu, criou uma técnica especial para driblar a pressão do dia a dia e o baixo astral. Depois de dar a volta por cima, acredita que se tornou uma espécie de Oprah Winfrey brasileira.

Já em “MILHO AOS POMBOS”, de Pedro Kosovski, Thalita Carauta interpreta uma eterna aspirante a atriz: “Vocês não estão me reconhecendo, não? Pronto, aquela ali me reconheceu. Ah, é minha vizinha no Leme, não é não? A gente caminha no calçadão. Tá fazendo figuração também?” 

Desde que o espetáculo foi idealizado – e apresentado em apenas três sessões na primeira encarnação, para comemorar os cinco anos do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) –, 11 autores passaram pelo programa: Luis Fernando Verissimo, Mauro Rasi, Vicente Pereira, Pedro Cardoso, Hamilton Vaz Pereira, Miguel Magno, Ricardo Almeida, Felipe Pinheiro, Miguel Falabella, Patrycia Travassos, Regiana Antonini. Na lista de diretores dos esquetes até agora estavam Hamilton, Mauro Rasi, Marcus Alvisi, Pedro Cardoso, Miguel Magno, Miguel Falabella e Regiana Antonini.

O comando da cena dividido irmãmente entre Monique e Hamilton é, portanto, uma novidade. “O encaixe tem sido perfeito, porque o Hamilton se liga na coisa espacial da encenação, já eu gosto do detalhe da atuação”, conta Monique. O parceiro corrobora: “São duas frentes complementares que se conectam, uma vai precisar da outra”.

Outra singularidade está no processo mais participativo do que nas encenações passadas. “Todos estão conversando sobre as cenas de todos, estamos valorizando o potencial de cada quadro coletivamente. Antes cada um cuidava do seu e eu visitava todo mundo para ver como estava indo, havia uma independência mais radical”, compara Hamilton. “Agora não, tudo junto misturado, com toda a liberdade”, conclui Monique.

 

ELENCO

BRUNO MAZZEO

Bruno Mazzeo é ator, humorista e roteirista. Estreou na televisão em 1991, como redator do programa A Escolinha do Professor Raimundo. Nos anos seguintes, escreveu para atrações da Globo, como Sai de Baixo, A Diarista e Junto & Misturado. Como ator, divide seus trabalhos entre o cinema, a televisão e o teatro. Atuou recentemente na novela A Regra do Jogo e na peça Sexo, Drogas e Rock’n’Roll. Estrelou e escreveu ainda os longas Muita calma nessa hora 1 e 2 e Cilada.com, originado pela série Cilada, que teve seis temporadas no Multishow, além de E ai, comeu?.  Atualmente, está no ar na segunda temporada da nova versão da Escolinha do Professor Raimundo, no canal Viva.

DEBORA LAMM

Cria da escola de teatro O Tablado, com mais de quarenta peças no currículo, onze indicações a prêmios de teatro e quatro troféus de melhor atriz, Debora também é integrante e fundadora da Cia OmondÉ. No cinema, esteve no elenco de Muita Calma Nessa Hora l e ll, no premiado Seja o Que Deus Quiser, 1972, Um Homem Só, entre outros. Na TV atuou em novelas como Celebridade, Um Anjo Caiu do Céu, Sabor da Paixão, Geração Brasil e diversas séries como Cilada, Junto & Misturado, Avassaladoras, A Grande Família e Louco por Elas. Atualmente, está no ar no sucesso Zorra, da TV Globo. Em 2017, comemora 20 anos de carreira.

HELOISA PÉRISSÉ

Atriz de teatro, cinema e TV, é reconhecida como uma das mais talentosas comediantes do país. Iniciou sua carreira no Tablado e desenvolveu personagens marcantes em programas de humor na TV Globo, como Zorra Total, Escolinha do Professor Raimundo e Sob Nova Direção. Neste último, foi protagonista ao lado de Ingrid Guimarães, com quem escreveu, idealizou e encenou o espetáculo Cócegas, um dos maiores sucessos de todos os tempos do teatro brasileiro. O seu currículo inclui mais de 50 filmes, peças, novelas e programas de TV.

LUIS MIRANDA

Ator, autor e bailarino formado pela Escola de Arte Dramática da USP, atuou em mais de 20 espetáculos, esteve na tela do cinema em longas memoráveis como Bicho de Sete Cabeças, Carandiru e Quincas Berro D’Água.  Na TV, fez parte do elenco de Sob Nova DireçãoA Grande Família, Junto e Misturado, entre outros programas.   Convidado para participar da novela Geração Brasil, atualmente integra o elenco de Mister Brau e Zorra, na Rede Globo de Televisão.

THALITA CARAUTA

Integrante do elenco fixo de Zorra, terminou recente as gravações da segunda temporada do programa Chapa Quente, ambas da TV Globo. Depois de estrear na televisão na novela Páginas da Vida, Thalita ficou conhecida no país inteiro com a personagem Janete, de Zorra Total, em 2011. No cinema, ganhou o troféu de melhor atriz coadjuvante no Prêmio da Academia Brasileira de Cinema, com o filme O Lobo Atrás da Porta, e se destacou nos filmes S.O.S Mulheres ao Mar 1 e 2, nos quais foi uma das personagens principais, a Dialinda. No teatro, atuou em diversas peças, que incluem Favela e Os Suburbanos.

 

SOBRE A BB SEGURIDADE

A BB Seguridade é responsável pelos seguros, planos de previdência, títulos de capitalização e planos odontológicos do Banco do Brasil. A empresa acredita no desenvolvimento do país. Para isso oferece proteção familiar e financeira, além de incentivar projetos direcionados as famílias e para o desenvolvimento de artistas brasileiros. Em 2013 abriu seu capital em bolsa, realizando o maior IPO do Brasil desde 2009 e o maior no mundo do ano de 2013.”

Site oficial: www.5xcomedia.com.br

Facebook: https://www.facebook.com/5xcomedia/

Instagram: https://www.instagram.com/5xcomedia/

 

FICHA TÉCNICA

BRANCA DE NEVE
De Julia Spadaccini

Com Debora Lamm

NANA, NENÊ

De Antonio Prata

Com Bruno Mazzeo

TIADORO SHOW

Escrito e interpretado por Heloisa Périssé

MILHO AOS POMBOS

De Pedro Kosoviski

Colaboração André Boucinhas

Com Thalita Carauta

MADAME SHEILA

Escrito e interpretado por Luis Miranda

 

Direção: Hamilton Vaz Pereira e Monique Gardenberg

Cenário: Daniela Thomas e Camila Schmidt

Imagens do Cenário e Projeto Gráfico: Radiográfica

Iluminação: Maneco Quinderé

Figurino: Cássio Brasil

Fotos: André Gardenberg

Vídeos: Dado Marietti

Assistente de Direção: Mila Portella e Sergio Maciel

Direção de Palco: Ney Silveira

Operador de Luz: Vladimir Freire

Operadora de Som: Joana Guimarães

VJ: Bruno Grieco

Contra Regra: Gabriel Max Serqueira

Caracterização: Sonia Penna

Produção de Figurino: Patricia Sato e Sonja Gradel

Assessoria de Imprensa: Vanessa Cardoso / Factoria Comunicação

Texto Programa: Isabel De Luca

Gerência Comercial: Adriana Vieira e Stefania Dzwigalska

Financeiro: Érica Maia, Marco Aurélio Serqueira, e Monica Lima

Motoristas: João Batista Oliveira e José Luis

Produção Teatro: Selene Marinho

Direção de Produção: Clarice Philigret

Diretores Executivos: Carlos Martins e Jeffrey Neale

Idealização: Dueto

Realização: Nós3

 

SERVIÇO

5 X Comédia

Dias 21 e 22 de abril

Sábado, às 21h

Domingo, às 18h e 21h

Theatro São Pedro (Praça Mal. Deodoro, s/n – Centro Histórico – Porto Alegre/RS)

Classificação: 14 anos
Gênero: Comédia

Duração: 90 min

 

INGRESSOS

Galerias: R$ 40,00

Camarote lateral: R$ 80,00

Camarote central: R$ 90,00

Plateia: R$ 120,00

Cadeiras extras: R$ 120,00

 DESCONTOS

50% para associados da AATSP (ingressos limitados)

50% para estudantes, jovens de baixa renda e pessoas com deficiência (40% da lotação)

50% para idosos

 PONTOS DE VENDA

Online: vendas.teatrosaopedro.com.br

Bilheteria do Theatro São Pedro: (Praça Mal. Deodoro, s/n). Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 13h às 18h30 ou até o horário de início dos espetáculos; sábados e domingos, das 15h até o horário de início dos espetáculos. Formas de pagamento: dinheiro, Visa (débito), Mastercard (débito) e Banricompras (débito).

 

Informações para a imprensa em Porto Alegre:

AGÊNCIA CIGANA

Jéssica Barcellos – (51) 99863.6363 – jessica@agenciacigana.com

 

Assessoria de imprensa nacional:

Factoria Comunicação

Vanessa Cardoso – vanessa@factoriacomunicacao.com

Eduardo Marques – eduardo@factoriacomunicacao.com

Pedro Neves – pedro@factoriacomunicacao.com

Tel: (21) 2249.1598/2259.0408